Expo 1976 Movimento Black Rio

Livro e exposição celebram os 40 anos do Movimento Black Rio, que teve seu auge no Rio de Janeiro nos anos 70. Lançado pela Editora José Olympio e escrito por Zé Octávio Sebadelhe e Felipe Gaoners, o livro narra a história do movimento que influenciou uma geração de artistas, e teve início nos primeiros bailes de black soul, na época espalhados por bairros suburbanos. Buscava, através de uma nova expressão de comportamento e de costumes, uma afirmação do orgulho negro, contra o preconceito racial e totalmente a favor da dança e da música como formas de libertação. A exposição exibiu as fotos de Almir Veiga para a reportagem de Lena Frias para o Jornal do Brasil que documentou o fenômeno dos bailes black do subúrbio, além de obras exclusivas Fábio Ema e Izolag, e contou com as participações ilustres de Carlos Dafé, Paulão Black Power, Don Filó, Sir Dema e outros. Motion da vinheta: Marcio Belão. Realização: Multimeios, Hare Rare e Evolutiva Estudio. Curta a página!

Topo da página

Livro e exposição celebram os 40 anos do Movimento Black Rio, que teve seu auge no Rio de Janeiro nos anos 70. Lançado pela Editora José Olympio e escrito por Zé Octávio Sebadelhe e Felipe Gaoners, o livro narra a história do movimento que influenciou uma geração de artistas, e teve início nos primeiros bailes de black soul, na época espalhados por bairros suburbanos. Buscava, através de uma nova expressão de comportamento e de costumes, uma afirmação do orgulho negro, contra o preconceito racial e totalmente a favor da dança e da música como formas de libertação. A exposição exibiu as fotos de Almir Veiga para a reportagem de Lena Frias para o Jornal do Brasil que documentou o fenômeno dos bailes black do subúrbio, além de obras exclusivas Fábio Ema e Izolag, e contou com as participações ilustres de Carlos Dafé, Paulão Black Power, Don Filó, Sir Dema e outros. Motion da vinheta: Marcio Belão. Realização: Multimeios, Hare Rare e Evolutiva Estudio. Curta a página!

Livro 1976 Movimento Black Rio

Livro e exposição celebram os 40 anos do Movimento Black Rio, que teve seu auge no Rio de Janeiro nos anos 70. Lançado pela Editora José Olympio e escrito por Zé Octávio Sebadelhe e Felipe Gaoners, o livro narra a história do movimento que influenciou uma geração de artistas, e teve início nos primeiros bailes de black soul, na época espalhados por bairros suburbanos. Buscava, através de uma nova expressão de comportamento e de costumes, uma afirmação do orgulho negro, contra o preconceito racial e totalmente a favor da dança e da música como formas de libertação. A exposição exibiu as fotos de Almir Veiga para a reportagem de Lena Frias para o Jornal do Brasil que documentou o fenômeno dos bailes black do subúrbio, além de obras exclusivas Fábio Ema e Izolag, e contou com as participações ilustres de Carlos Dafé, Paulão Black Power, Don Filó, Sir Dema e outros. Motion da vinheta: Marcio Belão. Realização: Multimeios, Hare Rare e Evolutiva Estudio. Curta a página!

Topo da página

Livro e exposição celebram os 40 anos do Movimento Black Rio, que teve seu auge no Rio de Janeiro nos anos 70. Lançado pela Editora José Olympio e escrito por Zé Octávio Sebadelhe e Felipe Gaoners, o livro narra a história do movimento que influenciou uma geração de artistas, e teve início nos primeiros bailes de black soul, na época espalhados por bairros suburbanos. Buscava, através de uma nova expressão de comportamento e de costumes, uma afirmação do orgulho negro, contra o preconceito racial e totalmente a favor da dança e da música como formas de libertação. A exposição exibiu as fotos de Almir Veiga para a reportagem de Lena Frias para o Jornal do Brasil que documentou o fenômeno dos bailes black do subúrbio, além de obras exclusivas Fábio Ema e Izolag, e contou com as participações ilustres de Carlos Dafé, Paulão Black Power, Don Filó, Sir Dema e outros. Motion da vinheta: Marcio Belão. Realização: Multimeios, Hare Rare e Evolutiva Estudio. Curta a página!