Morrer de Prazer

Em um livro que reúne seus textos mais pessoais, Ruy Castro evoca a juventude excitante dos anos 60, a paixão pelo cinema e suas deusas, pelas cidades fervilhantes e as possibilidades de encontro que oferecem. Também reconstitui batalhas mais duras que vieram ameaçar seu projeto de viver. Morrer, só se for de prazer. E do lado de cá compartilhamos dessa ideia. E ainda acrescentamos que foi um prazer conduzir este trabalho criativo e intenso para este autor que tanto admiramos.

Topo da página

Em um livro que reúne seus textos mais pessoais, Ruy Castro evoca a juventude excitante dos anos 60, a paixão pelo cinema e suas deusas, pelas cidades fervilhantes e as possibilidades de encontro que oferecem. Também reconstitui batalhas mais duras que vieram ameaçar seu projeto de viver. Morrer, só se for de prazer. E do lado de cá compartilhamos dessa ideia. E ainda acrescentamos que foi um prazer conduzir este trabalho criativo e intenso para este autor que tanto admiramos.